terça-feira, 8 de abril de 2014

Sobre fadiga, nuances e miscelânea.


Observo este mundo caduco.
Este mundo que também é meu próprio eu e el@s.

Fadiga-me.
Fadiga-me no sentido mais lato do fatigar se.

As vezes, me sinto como em pequenos pedaços, esta violência vertical tenta dividir a nossa miscelânea que nos mantem viva.
Nossa miscelânea é a resistência , nossa colorida identidade plural, que nos devolve a vida.
Porque eu não sou eu, sem o você.

Ainda bem que estes nuances de alguma forma sempre me encontram.
Que a vida não se restringe ao ali, a vida é feita do momento.
Hoje não tem lugar na prateleira, não tem espaço
Hoje é como eu o sinto, e deixo-me sentir.
Hoje eu não me calo.

Que hoje ninguém roube o nosso direito de gritar quando somos oprimidas.

Graci Furby




Nenhum comentário:

Postar um comentário