domingo, 22 de dezembro de 2013

Coração de tinta- (Cornelia Funke)




"É bom ter os próprios livros quando s está em um lugar estranho"(p.22)

"Quando você leva um livro numa viagem" dissera Mo quando ela pôs o primeiro no baú, " acontece uma coisa estranha : o livro começa a colecionar lembranças. Depois basta abri-lo, e você já esta de novo no lugar onde o leu. Tudo volta já nas primeiras palavras : as imagens, os cheiros,o sorvete que você tomou enquanto lia  Acredite , os livros são como papel pega-moscas. Não existe nada melhor para grudar lembranças  do que páginas impressas." (p.22)

"Para ela, sempre fora tão fácil se transportas para outros lugares, entrar na pele de animais e pessoas que existiam apenas no papel! Por que não naquele momento? Porque ela estava com medo. " Porque o medo mata tudo", Mo dissera um dia, " a razão, o coração e até mesmo a fantasia."(p.115)

"Ao que tudo indica, são muito poucos os que suportam mudar de mundo tão bruscamente. Nós dois sabemos como pode ser bom mergulhar num livro e viver nele por um tempo, mas ser arrancado de uma história e de repente se encontrar no nosso mundo não parece deixar a pessoa exatamente feliz." (p.130)

"Uma história, um romance, um conto- essas coisas assemelhan-se a seres vivos, e talvez o sejam de fato. Elas têm sua cabeça, suas pernas, sua circulação sanguínea e sua roupa, como pessoas de verdade." ( Erich Kastner, Emil e os detetives.)

...Ele sempre tivera medo da morte, ele a imaginava fria, como uma noite sem fogo. Contudo, nos últimos tempos, ele temia a inda mais uma outra coisa, e essa coisa era tristeza. Desde que Língua Encantada o trouxera para aquele mundo, ela o seguia como uma segunda sombra. Era uma tristeza que tornava os membros pesados e o céu cinzento." ( p.233)

'Pensando bem talvez ela fosse semelhante a ele: o lar dela também consistia em papel e tinta de impressão, como o dele. Talvez ela se sentisse tão estranha quanto ele no mundo real. (p.300)