quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013


A maquiagem de hoje esconde a olheira de ontem.
O suspiro de hoje, quer o alguém de amanhã.
A pulsação do momento, quase falha de saudade.

A canseira de hoje, esta desde ontem.
A alegria de hoje, tomara que fique até amanhã.
A dor do momento, quase sufoca o prazer da vida.

A cor do hoje, tomara que encontre o arco-íris amanha.
O monstro de hoje, vai sair de baixo da cama e é agora!
E o momento... Espero que me encontre em um melhor.


A gente costuma decorar o nosso dia, com aquilo que a gente fala com o outro. Divide e recebe.
 Com  aquilo que a gente não esquece que esta ali, atras de algum momento. Nos espiando com a porta entre aberta. A gente as vezes pode escolher, se não tem um momento tão bom para a gente permanecer, se balançar um pouco entre um e outro.

A paciência de hoje, vai ter que esperar por mais algum tempo.Parar um pouco  para respirar...Em paz.  Entender a Paz. Escolha e não circunstância. Estado e não refúgio...Sem angustia ardendo no peito.


Graci Furby

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Eu gosto mais de libélulas do que de borboletas...Acho que elas tem uma beleza mais sutil, mais simples.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Delicadeza


Uma grande salva de palmas a delicadeza da vida, do amor, do momento, do sublime.
E das pessoas  raras que ainda existem que falam nesta língua.
De desconhecidos que dão um belo sorriso de presente à você.
Ás pessoas que gostam de uma  conversa, e respondem o bom dia!

As borboletas estão vivendo aqui de novo. Se isto é bom ou ruim não sei...
Mas, muito obrigada dona delicadeza, por chegar assim sem avisar.  Por me dar uma lente mais sutil, mais atenta. Por me salvar da minha tarde chata.

Graci Furby