quinta-feira, 24 de junho de 2010






Eu não gosto do morno , comigo as coisas são quentes ou frias .


Eu não gosto do cinza , é preto ou branco .


Eu não espero até amanha , quero viver hoje .


Eu não quero paixão, quero um verdadeiro amor eterno e duradouro.


Eu não quero declarações cerimoniosas e sim atitudes.


Não use talvez , "sim" ou" não "são muito melhores !


Não tenha medo do que os outros vão pensar , viva o momento , e escute seu coração por mais louco e abestado que ele seja .


Aproveite o que ainda resta do verde , talvez seus netos conheçam a natureza através de fotos e vídeos .


Fuja um pouco desta selva de pedra , faz bem as vezes fugir e viver o novo .


Aprenda com seus erros .


Encontre Deus nos detalhes do seu dia .


Seja feliz com aquilo que você tem , ai conseguira coisas muito melhores .


Mova montanhas se for preciso para construir seus sonhos.


Ame e seja amada.






Um dia eu te encontro, e eu vou saber que é você .






sexta-feira, 18 de junho de 2010

O diário de Anne Frank _ Anne Fank





Saia vá para o campo e goze a natureza , o sol vá para FORA e tente RECAPTURAR A FELICIDADE em si própia em Deus . Pense em toda beleza que resta em você e a sua volta e seja feliz ... Descobri que resta alguma beleza no sol na natureza na liberdade em você mesma . Você se encontra consigo e com Deus e RETOMA O EQUILÍBRIO . E quem é feliz faz os outros felizes. aquele que tem fé e coragem jamais perecerá na desgraça .






















obs ** livro excelente .

sexta-feira, 11 de junho de 2010

É bem simples , e extremamente complicado de explicar exteriormente ...

Eu tenho vários sonhos , e as vezes não sei á qual perseguir , eu sou uma menina escondida por baixo destas responsabilidades .
Eu tenho me sentido cansada de tanto procurar e não encontrar .
Eu me isolo , isto é errado , mas as vezes é sozinha que eu encontro o ponto de equilíbrio novamente , quando eu me calo , e calo o mundo a minha volta que eu consigo escutar o que há dentro.
Eu temo , ficar sozinha e implorar as migalhas dos amores aventureiros , romanticos e arrebatadores que eu tanto sonho .
Eu olho ao meu redor e não consigo ver o que realmente me toca , como se as pessoas se tornam insensíveis e nem sentem , quente ou o frio , sorriso ou lágrima .
Eu amo , e desejo ter um coração bastante grande para amar sem ser retribuída as vezes .
Eu sou anacrônica , na verdade o meu marido deveria ser Mario Quintana ou o Sr. Darcy , se Quintana não fosse meu marido deveria ser meu melhor amigo . Duke Ellington estaria sempre sintonizado no meu radio , e eu iria a um apresentação dele . Como eu queria ter uma maquina do tempo.
Eu gosto de comer melancia porque concordo com Clarice parece que a fatia esta sempre sorrindo para a gente .
Eu não quero me deixar apagar .
Estou louca e esta é uma verdade universsalmente conhecida .

A parte simples ?

Eu sou Graciele já tenho 19 anos , e ainda não sei o que quero da minha vida .

domingo, 6 de junho de 2010

Clarice e eu seriamos grandes amigas ...

Rifa-se um coração Rifa-se um coração quase novo.Um coração idealista.Um coração como poucos.Um coração à moda antiga.Um coração moleque que insiste em pregar peças no seu usuário.Rifa-se um coração que na realidade está um pouco usado, meio calejado, muito machucado e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.Um pouco inconseqüente que nunca desiste de acreditar nas pessoas.Um leviano e precipitado coração que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu..."...não quero dinheiro, eu quero amor sincero,é isso que eu espero...".Um idealista...Um verdadeiro sonhador...Rifa-se um coração que nunca aprende.Que não endurece, e mantém sempre viva a esperança de ser feliz, sendo simples e natural.Um coração insensato que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar.Um furioso suicida que vive procurando relações e emoções verdadeiras.Rifa-se um coração que insiste em cometer sempre os mesmos erros.Esse coração que erra, briga, se expõe.Perde o juízo por completo em nome de causas e paixões.Sai do sério e, às vezes revê suas posições arrependido de palavras e gestos.Este coração tantas vezes incompreendido.Tantas vezes provocado.Tantas vezes impulsivo.Rifa-se este desequilibrado emocional que abre sorrisos tão largos que quase dá pra engolir as orelhas, mas que também arranca lágrima se faz murchar o rosto.Um coração para ser alugado,ou mesmo utilizado por quem gosta de emoções fortes.Um órgão abestado indicado apenas para quem quer viver intensamente contraindicado para os que apenas pretendem passar pela vida matando o tempo,defendendo-se das emoções.Rifa-se um coração tão inocente que se mostra sem armadurase deixa louco o seu usuário.Um coração que quando parar de bater ouvirá o seu usuário dizer para São Pedro na hora da prestação de contas:"O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo,só errei quando coloquei sentimento.Só fiz bobagens e me dei malquando ouvi este louco coração de criança que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer" Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por outro que tenha um pouco mais de juízo.Um órgão mais fiel ao seu usuário.Um amigo do peito que não maltrate tanto o ser que o abriga.Um coração que não seja tão inconseqüente.Rifa-se um coração cego, surdo e mudo,mas que incomoda um bocado.Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda não foi adotado, provavelmente, por se recusara cultivar ares selvagens ou racionais,por não querer perder o estilo.Oferece-se um coração vadio,sem raça, sem pedigree.Um simples coração humano.Um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado.Um modelo cheio de defeitos que,mesmo estando fora do mercado,faz questão de não se modernizar,mas vez por outra,constrange o corpo que o domina.Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredo se a ter a petulância de se aventurar como poeta
Clarice Lispector